domingo, 7 de dezembro de 2014

Descoberta

Já dizia o poeta 
que se tornou uma lenda 
e já não está entre nós
"O tempo não para"
ele passa depressa 
ele corre veloz

E eu deixo minhas mágoas 
vou lavando minh'alma
deixo com o tempo esse carma
de se livrar do que 
já não me serve mais
Eu sinto esse vento
vivo cada momento
já não me prendo 
ao que não me satisfaz

Porque eu descobri 
que a maturidade é uma ilusão de óptica

Me permito viver 
me permito esquecer
do que me faz mal
não tenho tempo a perder
não tenho mais que me prender
dentro de mim vou promover
uma liberdade radical

Porque eu descobri 
que a maturidade é uma ilusão de óptica

Ela sempre está a frente 
sempre chega de repente 
nunca está no presente
só nos ajuda a entender 
o que já passou

às vezes é nossa amiga
às vezes até irrita
só se aprende com a vida 
mas no fundo 
ninguém é maduro, amor.

Porque eu descobri 
que a maturidade é uma ilusão de óptica

Annie Wallker

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Eleições 2014 e o discuso do ódio


A mudança, para além dos políticos, tem que ser da população, não só na hora de votar, mas na hora de exigir e de fazer cumprir os deveres que possuem (é gente nem só de direitos vive o homem). Não é porque Dilma foi eleita que a gente tem que engoli tudo que ela vomitar na gente, as ações e políticas públicas quando possuem um impacto positivo devem ser de Estado e não de Governo. Só falta agora exigirem direito autoral para políticas públicas ("eu que fiz e decido quem pode fazer"). A reforma política tem que começar pelo povo. Uma mudança de pensamento para ter uma mudança de comportamento e modo de ver política (que sim, infelizmente, política é algo necessário) e ser políticos (pq todo cidadão, de certa forma, é um ser político, todos votam, todos têm direitos e deveres a serem cumpridos)

Não concordar com o voto alheio é compreensível, até porque o voto é mais que uma ato democrático, decide o futuro de todos e não só de alguns. Mas sai por aí fazendo discursos de ódio, é inadmissível para qualquer dos lados. As urnas não decidiram o final do brasileirão, vejo as pessoas ainda defendendo os candidatos como se fossem seu time do coração. Peraê. Agora já foi, o mundo não tah perdido, não vai acontecer o apocalipse zumbi, mas sim temos que nos planejar pq virão tempos difíceis que seriam difíceis se qualquer um ganhasse. Temos que repensar novas ações, não podemos deixar de lutar ou desistir do país por causa disso.

Ainda somos uma só nação, um reino dividido não subiste. A união que faz a força não a divisão. Orgulhos a parte, ainda temos que amar o Brasil mesmo discordando entre si. Não é assim uma família? mesmo discordando entre si muitas vezes, mas quando precisam estão juntos? Assim que temos ser, afinal somos todos da família brasileira.

Não digo que temos abaixar a cabeça pra tudo, mas disseminar o ódio e criar um "lado A" e um "lado B" não é solução do país.

domingo, 26 de outubro de 2014

Paraíso Artificial - Comentários


Paraíso Artificial foi um filme que me surpreendeu. Apesar de meu preconceito com o filme que me parecia um pouco "bizarro" tive enfim a coragem de assisti-lo. A curiosidade não me permitiu ficar inerte a ele, era muita cor pra não chamar a minha atenção. E por que ele me surpreendeu?

Antes de ver o filme, já o imaginava que fosse meio alucinógeno. Bem, ele é alucinógeno e meio. Só que isso não o torna um filme ruim. Pelo contrario, ele tem um enredo que, no meio dos conflitos dos personagens e das histórias que se cruzam, você sente o filme, não apenas assiste. Consegue entender? Ele flui. Não tem tempo, não tem espaço. Você se perder no tempo no vai e vem da história. E é isso o filme: uma perca e um encontro a todo o momento.

Drogas, sexo, amizade e amor. O auto-conhecimento, a busca pelo inalcançável. É mais ou menos assim o filme. Com uma história comovente, ele te prende mesmo com toda a abstração no tempo e no espaço. A sensualidade do filme está por toda parte, cores, música, movimentos... e claro no erotismo também rs (ah, parenteses para os puritanos, se você é puritano ou talvez não curta muito algumas cenas mais pesadinhas, tenho uma má noticia tem mto contexto nelas :/ eu tentei passar  e me perdi tive que voltar rs).

Mas o que mais me surpreendeu no filme é que com os vai e voltas de histórias, pensamentos e o fluxo todo do filme, ele me prendeu na história. E esse tema, definitivamente, não é o tipo que eu consiga assistir por mais de 20 min. O Drama da Érika(Natalia Dill), com seu segredo que ficou guardado por tanto tempo e os desencontros e reencontros do filme, com todo o movimento, a estética, a sonoplastia etc, realmente são muito sedutores.

Mas se você, assim como eu (sim eu confesso, mas me arrependi e prometo não fazer mais rsrsrs), estava com preconceitos com o filme (produção nacional, com um tema de drogas e tal), recomendo dar uma olhadinha. O filme é uma excelente produção que retrata uma realidade, ás vezes paralela a nossa, que é de muito jovem classe média e alta, mas é uma realidade muito presente na vida de muita gente.

Por fim, adorei! Vale a pena ser visto. Se desnudam dos preconceitos e se abram a novas experiências (pra ver como entrei no clima do filme, rsrs brincadeira).

E se você procura um filme que te faça fazer uma viagem legal: esse é o cara!

Boa noite pessoas.

sábado, 25 de outubro de 2014

Rima Pobre

Poeta de rima pobre
veja a sina minha

mas pra mim é o sentimento
mais importante que cada rima
sentir e se fazer sentir 
no toque de cada palavra
algo que faça refletir

talvez isso não seja um poema ou poesia
não como esperam que seja
mas é a função da minha pobre rima
desafogar o afago que tenho no peito
com palavras me libertar do desassossego
desabafar o bafo do cotidiano
fugir do ritmo que segue o ano

talvez seja uma intrapoesia
que sem querer faço só pra mim mesma
talvez sejam rimas pobres
ricas de egoísmo
de reflexos de sentimentos tão meus
esquecidas dos sentimentos seus

rima, tão pobre rima
ser pobre é sua sina
quem mandou querer sair
de uma garota
metida a poetisa.

Annie Wallker 


Poetisa

Dizem que para eu ser poeta
eu tenho que poetizar
mas que diabo é esse de poesia?
dizem que é só rimar

Fui ver um tal Abel Silva
que me fez pensar
fazer rima não é poesia
então, enfim, o que é poetizar?

Na verdade não sei
e talvez nunca descubra
vou continuar nas minhas pobres rimas
quem sabe sem querer 
possa eu um dia
me tornar uma poetisa

Annie Wallker

terça-feira, 8 de abril de 2014

Uma voz encantadora...

Acho que todo mundo conhece a cantora Tania Mara, ou ao menos, já ouviu falar. Ela encantou a todos com sua linda voz com Se quiser, na trilha sonora de Páginas da vida. Mas o que talvez você não saiba, é que a Tania Mara é irmã do ator Rafael Almeida, aquele que fez o pianista Luciano apaixonado pela bailarina dessa mesma novela. 
O menino prodígio, que além de excelente ator e músico, também é cantor e diretor de obras audiovisuais (tão divo que tem sua própria produtora a RA3), e agora está na trilha sonora da novela Em Família. Eu confesso que não vejo a novela, mas mesmo assim fiquei encantada com a voz do Rapaz na música Bunggle Jump, uma mistura de Cazuza Com Frejat SEN-SA-CIO-NAL!! Além dos covers das músicas Meiga e Abusada da Anita, e a música Mulher que ficou maravilhosa na voz do cantor. Bem, já perceberam,  que eu passei aqui pra falar que eu fiquei apaixonado pelo garoto que, na minha opinião, arrasa. Eu sei que ele é um gato, mas meninas a má noticia é que ele é comprometido com a cantora de axé Alinne Rosa, que é outra que arrasa no vocal, e também está na trilha de Em Família com a música Complicado Demais tema da Helena. Já deu pra perceber que a novela tah mesmo em família rsrs.
Com essa família, quem precisa ouvir som? Já tem um grupo de peso de vocais em casa! Invejinha da mãe das figuras rsrs
Elogios e declarações de amor a família a parte, vou deixar aqui as musicas que citei que têm sido as minhas trilhas sonoras favoritas. Bjs no core e até a próxima!

Bunggle Jump - Rafael Almeida - Trilha sonora de Em Família- Luisa e André


Meiga e Abusada - Cover Rafael Almeida


Essa é muito a minha favorita!!! Mulher - Cover - Rafael Almeida

Amor infinito - Tania Mara e Rafael Almeida

sábado, 5 de abril de 2014

Corrente do bem... hoje eu to zen!


Uma vez aconteceu uma coisa, que no momento nem nós entendemos, mas depois fez muito mais sentido. Um dia, na volta da faculdade, aconteceu de minha amiga e eu encontrarmos uma senhora rodeada de pessoas passando mal. Lábios roxos, desacordada, todos tentando chamar a SAMU, e advinha? O telefone só dava ocupado. Vê se isso é possível?!
Encontramos um carro da  policia civil fazendo uma ronda, eles pararam passaram um rádio para a SAMU e simplesmente foram embora. Ficamos lá, estava cheio de gente também, apareceram algumas pessoas que faziam enfermagem e tentaram acudi-la. Mas tava difícil.
Enfim, a SAMU chegou, ela estava sozinha, então minha amiga e eu decidimos ir junto com ela. Sim, também achamos meio loucura, porque fomos parar num lugar que não tínhamos idéia de como sair depois.. hihihi... mas sentimos forte no nosso coração, lembramos de nossas mães, e fomos. Lá a acompanhamos até chegar a família que só chegou lá pras 20h da noite, o incidente aconteceu por volta de 13h. Quando chegaram os exames, o médico nos mostrou que ela havia sofrido um infarto, naquele momento, percebemos que se ela tivesse sozinha talvez tivesse piorado.
Aconteceram muitas coisas naquele dia no UPA de Nilópolis (eu acho que era de lá RS), mas porque estou contando isso? Uma coisa ficou muito forte no meu coração naquele dia, o quanto pequenos gestos, que as vezes temos a oportunidade de fazer, podem fazer a diferença pra nós mesmos. Eu confesso, que eu estava muito desacreditada do mundo e de tudo, mas com isso aprendi, que a esperança só acaba quando a deixamos morrer, porque quando não há ninguém para nos dar a esperança de um mundo melhor, nós podemos ser a esperança de alguém em mundo melhor, e quando acendemos essa chama no coração de alguém, é o nosso coração que incendeia de uma paz e uma alegria, de ter tido a chance e de ter feito a coisa certa, no momento certo.
E quando acendemos essa luz no fim do túnel, no coração de alguém que não acreditava mais em gentileza e solidariedade, essa pessoa passa a ter esperança e essa esperança a faz realizar uma boa ação que acenderá a mesma luz no coração de outra pessoa, e assim se cria uma corrente de luz, que nessa a gente pode confiar.

Óbvio que não são todos os corações que conseguiram acender essa esperança, até porque, tem gente que a vida já a desenganou tanto, que precisa de uma intervenção divina pra poder acreditar, quando acredita. Mas a nossa parte devemos fazer. Compartilho essa história, porque ela me fez tanto bem, ela acendeu a esperança em mim de que o mundo tem jeito sim, e isso tem que vir de nós mesmos, que gostaria de compartilhar pra dizer que o bem foi feito para nós mesmos, recebemos mais do que doamos, quando doamos de coração e sem interesse de receber em troca.


segunda-feira, 24 de março de 2014

Se expondo e vivendo a opressão

Hoje eu to meio gripadinha e ando meio reflexiva, então vou falar sobre exposição pública.
Já vivi muitos momentos polêmicos, e sempre fui a favor da máxima transparência, sempre achei que transparência era sinônimo de sinceridade e lealdade. Acreditava que ser transparente me tornava uma pessoa clara, sincera e correta, afinal "quem não deve não teme". Porém, fui descobrindo que transparência demais só me deixava cada vez mais exposta e vulnerável, afinal sabemos que sempre tem um querendo nos derrotar, e comigo nunca foi diferente.
Sempre tinha alguém, alguma "amiga" na espreita. O problema é que eu nunca fui muito maldosa e acaba me tornando presa fácil, até porque sempre achei que a transparência era minha maior proteção, porque nunca me deixaria perder a "moral". Amargo engano, além de me deixar mais vulnerável e com o tempo e foi descobrindo que sim, a transparência é muito importante, mas não necessariamente com todos, com todos temos que ser sinceros, mas transparência plena temos que ter com quem nos importamos e quem nos cerca (para o bem), para a nossa família e etc.
Enfim, no fundo a exposição é uma arma que está sempre apontada para nós mesmos, até porque, as pessoas estão sempre mais propensas a acusar e julgar do que a ajudar.

Bem essa foi a minha reflexão do dia.
Bjs pra quem fica, eu me vou!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Minha Fraqueza


Passe o tempo que passar
Que pra sempre eu vou te amar
Eu já sei que tudo acabou
Mas olha pra mim
Pensando em você  eu estou

Você é minha kriptonita,
sou tão forte longe de você
e tão fraca quando
estou perto de você
porque eu te machuco depois me arrependo
eu me seguro pra não correr
atrás
de você...

E a distância se torna minha melhor amiga
minha aliada
que me impossibilita
de fugir de mim mesma
meus ideais
eu não sei porque

eu ainda olho pra trás

domingo, 15 de setembro de 2013

Amargo Sabor do Silêncio


Trago calado em meu peito
O amargo sabor do silêncio
De quem teve os lábios lacrados
Por quem se achava mais sagrado

Refém de um esquecido passado
Massacrado por um silêncio forçado
Para não escandalizar o sagrado
Enterram-me no túmulo da impunidade
Santa protetora da maldade
Que em terra santa faz perecer a pureza
E a fé faz morrer com presteza.
Annie Wallker

domingo, 1 de setembro de 2013

A Ilha

Olá pessoas, estou hoje com uma super dica de vídeo para você se assistir e se questionar: A Ilha.
A obra conta com a direção e roteiro de Alê Camargo,  sócio da Buba Filmes, e que possui uma filmografia compostas por animações sempre premiadas, e com A Ilha não foi diferente. Produzida por alunos da Ozi Escola de Audiovisual de Brasília, o curta metragem A Ilha possui uma qualidade técnica nada amadora, pelo contrário, o filme ganhou vários prêmios pelo Brasil e participou de um dos festivais de cinema mais importantes do Brasil, o Anima Mundi, em 2009.
            O curta narra a história de um jovem que quando, por conta do seu celular descarregado (um drama sentido a flor da pele pelos jovens estudantes) sai em busca de uma alternativa para realizar uma ligação e acaba, sem querer, ficando preso em um canteiro no meio de uma estrada super movimentada sem ter como continuar atravessando nem voltar cercado de carros. O desespero do jovem e a aventura em busca de sair daquela “ilha”, nos leva a uma reflexão muito pertinente, nos questiona sobre o caos do transito urbano. Quem, que mora num centro urbano, nunca ficou preso no meio de um engarrafamento, ou então, quase morreu tentando atravessar uma rua?

            Divertida, engraçada e intrigante a animação chama a atenção desde as crianças a jovens e adultos, não há idade para se compadecer do jovem “náufrago”.  Se a Ilha tem um defeito é ser um curta e nada mais.
 Espero que curtam!!!


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Inacabada

O tempo faz a gente aprender a caminhar
A Linha é torta, mas dá pra continuar
Mantendo o ritmo na língua do corpo se comunicar
Deixando o destino te levar

O tempo deixa nossos passos mais firmes
As dores nos ensina a sermos mais fortes
Ser mais humano não ser tão sensacionalista
Ser sensível não é ser exibicionista
Annie Wallker

Continuar ás vezes é mais cômodo do que mudar
As quedas que temos nos deixa mais fechados
As lutas ás vezes nos fragilizam
A esperança é nosso único alimento
E se não tenho em que esperar
Me perco no breu da minha desilusão

Aprendendo a andar, no caminho da vida
Me equilibro no andador da verdade
Tropeço nas pedras da maldade
Mas os venenos que me jogam não me intoxicam

Não sou santa
Não sou pura
Sou apenas uma louca

Em busca da razão.

Annie Wallker

Receive

Boa noite pessoas,
Hoje eu estou naqueles dias que a gente tah meio "up", ouvindo músicas que parecem músicas de final de filme "água com açúcar". Eu sei que ultimamente eu estado bem assim, porém, ao contrário do que muitos pensam, não estou apaixonada. Posso está apaixonada pela vida, mas isso não vem ao caso. rsrs
Então hoje eu quero compartilhar uma música que eu particularmente adoro, sem querer bancar a DJ, mas já bancando rsrs
Espero que gostem, bjos.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Música que apaixona

Sabe quando você ouve uma música que te faz derreter? Nem precisa ter uma pessoa pra ser o alvo desse sentimento, mas só a música já te faz derreter. Pois é, hoje minha amiga me lembrou de uma dessas, que quando a gente lembra, não esquece pelo resto do dia e dá vontade de ouvir, e ouvir, e ouvir eternamente aquela canção.
Sabe quando a música te faz querer cantar para o mundo ouvir? Então, já que não posso cantar para o mundo ouvir (sorte de vocês rsrs), posso compartilhar com o meu mundo.
Espero que gostem.

Copyright © 2014 Coisas de Annie