quarta-feira, 28 de julho de 2010

SENTIMENTOS - 4ª PARTE

CAPÍTULO VIII




Fernanda estava patinando no calçadão da praça do bairro, era o seu maior Hobby era o que aliviava a sua cabeça, se encontrar com Felipe sempre a abalava muito, o último então mexeu com ela mesmo.

Boa tarde D. Sonhadora – disse Carlos ao assusta-la.

Nossa Caká, você quase me fez cair. O que você está fazendo aqui não tinha que trabalhar?

Pois é D. Esmeralda me deu uma folga, disse que eu precisava descansar um pouco e pensar também.

D. Esmeralda lhe dando folga? me perdoe, mas isso é estranho. o que aconteceu?

Nem me fale. Aconteceu a coisa mais louca da minha vida.

Nossa você está me deixando curiosa.

É que... - Carlos já ia contar o que aconteceu no dia anterior, quando seu irmão o interrompeu, com a Renata.

Oi maninho, matando trabalho, papai vai adorar saber disso.

Isso não é da sua conta Diego – disse Fernanda estressada, Diego sempre importunava seu irmão por causa da Fernanda, Diego sempre quis ter alguma coisa com ela, mas ela nem olhava pra ele, e era a melhor amiga de Carlos, o que lhe causava muito ciumes, pois pensava que eles namoravam. Renata a odiava, ela conhecia essa situação. A relação entre eles era bem complicada.

Deixa Fernanda, eu não tenho nada a temer. - disse Carlos tentando aliviar a situação.

Será maninho? Se eu fosse vc não teria tanta certeza, não.- disse Diego com ar Sarcástico

e o que, que eu deveria temer? - disse Carlos desconfiado.

Não sei. Ficou com medo? Fica tranquilo só eu vi. Vc sabe o q.- disse Diego e saiu todo satisfeito tinha conseguido intimidar seu irmão, “uma chantagensinha de vez e quando não faz mal , neh?” pensava ele enquanto subia na moto.

“Do que será que ele está falando? Será que ele também viu o beijo? Mas também na porta da papelaria quem não viria? Se isso cai nos ouvidos do minha família ou da dela estamos ferrados!” - pensou Carlos

Renata sem que nenhum dos dois irmãos percebesse puxou Fernanda pelo braço.

se tem alguém q tem q tomar cuidado aqui é vc , viu Patricinha? - Ameaçou Renata

Isso é uma ameaça, por acaso – perguntou Fernanda desafiando renata

não um aviso, um prévio aviso, fique bem longe do Diego, ouviu?

Bem, bem que eu queria, mas ele não aguenta ficar longe de mim – disse Fernanda ironizando a situação. Renata num impulso levantou a mão para dar um tapa em Fernanda, quando:

vamos Renatinha, vamos deixar esses dois – disse Diego ainda satisfeito com o sucesso d sua ameaça. Ela abaixou a mão disfarçou e subiu na moto do namorado.

Renata engoliu seco a conversa com Fernanda, mas não ia deixar o abuso da “Patricinha” barato, não ia mesmo.

Depois que Diego e Renata sairam, ficou um clima um pouco estranho entre Fernanda e Carlos, pois ambos estavam chateados com o que acabara de acontecer. Mas Fernanda estava chateada com Carlos também, o que Diego saberia sobre Carlos que ela não sabia? poxa eles são amigos, ele contava tudo pra ela, por que ele se intimidou com irmão então?

Quer me contar alguma coisa? - perguntou ela tentando descobrir o que estava acontecendo.

Olha em outro momento eu até contaria, vc sabe que eu não te escondo nada. - isso acalmou um pouco Fernanda, mas Carlos continuou – mas agora não posso, tenho que resolver um problema.

E ele saiu deixando Fernanda aflita no parque. “o que será que aconteceu?” era a pergunta que não se calava dentro dela.



CAPÍTULO IX



Carlos estava nervoso, com certeza Diego tinha visto alguma coisa, afinal ele não é de blefar assim. A praça que ficava atrás da faculdade estava silenciosa naquela tarde, dava até para escutar os pássaros cantando. Carlos já estava se distraindo com aquele canto quando Clara chegou.

Nossa o que aconteceu? Pq você me ligou tão nervoso? Eu fiquei preocupada. E como você conseguiu o número do meu telefone?- disse Clara

Meu irmão nos viu, e você me deu esqueceu? Ontem?

Caramba! E agora? Ele não pode contar pra ninguém. Já basta a D. Esmeralda ter nos visto.

É eu sei. Mas o que vamos fazer agora? Já aconteceu.

Mas eu não me arrependo, sabia?- Disse Clara com ar de menina sapeca e tímida. Carlos a olhou, ficou surpreso, depois ele se levantou se aproximou da garota.

Nem eu – disse Carlos e depois beijou-a.

O tempo parecia que voava quando Carlos e Clara estavam juntos , parecia que não existia mais ninguém no mundo. O coração acelerava a cada troca de olhares, e parecia que ia sair pela boca a cada beijo. Ás coisas entre eles ficava cada vez mais intensa com o passar do tempo, as conversas mais divertidas, os beijos mais demorados, os encontros mais frequentes, sem que eles percebessem já não conseguiam se imaginar um sem o outro, vivam como se toda vez que se vissem estivessem sonhando e depois quando voltavam, acordavam. Mas apesar de todo esse amor e toda essa emoção os problemas estavam bem vivos.

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2014 Coisas de Annie