Pular para o conteúdo principal

SENTIMENTOS - 7ª parte

Jaqueline ia se sentar para se acomodar na ilustre sala de estar da casa de Clara, quando o interfone novamente toca. Janice a empregada da casa logo anuncia ser Felipe e que ele já está subindo o prédio. Jaqueline sente um aperto no peito e Júlia se sente aflita, depois do dia de aniversário de namoro dos meninos Felipe simplesmente desaparecera.


Ju: Jaque minha querida sobe e convença a Clara a falar com o noivo, por favor?

Já: NOIVO? Disse assustada. Eles noivaram e não avisaram a ninguém? puxa! Eu pensei que fosse a melhor amiga de Clara, não esperava isso dela.

Ju: bem, ainda não são, mas serão.

Já: atah.

Jaqueline esforçava uma cara de animo pelo casamento indesejável da prima. Enquanto subia as escadas e passava pelo corredor que dava no quarto de Clara, pensava que não bastaria as ligações que estava fazendo para Fernanda desde o dia que descobriu pelo próprio Felipe que ela é que era sua grande rival e não Clara, como ela sempre imaginou, pensou em fazer o papel da prima dedicada, e ajudar a Clara a desfazer o noivado, já que, já fazia um bom tempo que percebera que sua prima estava querendo se livrar do “noivo”, palavra que ela engolia a seco até no pensamento.

Clara estava no quarto fazendo um mega problema de matemática, angustiada por não conseguir se concentrar no exercício pelos problemas que estava tentando resolver na sua própria vida, que no momento pareciam muito mais complexos. Foi interrompida quando Jaqueline bateu na porta.

C: pode entrar.

J: oi prima como vc tah?

C: estou bem, e você?

J: bem abandonada, você nunca mais ligou ficou distante durante os cursos, o que está acontecendo prima? Você tem alguma coisa pra me contar?

C: Ai Jaque são tantas coisas que tem acontecido nos últimos dias que eu nem sei se vou me lembrar de tudo, mas ao mesmo tempo eu não quero falar disso.

J: Ah, assim não dá, Clara! Puxa, a gente sempre contou uma com a outra e agora do nada você simplesmente cortou relação comigo, é isso?

C: não, claro que não! Eu só estou angustiada com tantos problemas.

J: que eu me lembre é para isso que servem os amigos neh?

C: eu sei Jaque, mas... é que...

j: tah, se você não quer contar, não conta, mas aí eu não vou poder te ajudar em nada. E por falar nisso o Felipe está lá embaixo quer falar contigo.

C: sério? Nossa ele deve estar uma fera comigo.

J: Jura? E por que ele estaria?

C: Faz parte da longa história...

J: e você não vai me contar mesmo neh?

C: Sabe o que é Jaque? É que eu não sei se você vai me entender?

J: e por que eu não entenderia? Puxa a gente cresceu juntas, sempre amigas e agora você não confia mais em mim? - Jaqueline fez o maior drama , para convencer Clara da sua amizade.

C: tah! Mas você vai me prometer que não vai contar pra ninguem e que você vai me ajudar sem me condenar?

J: Nossa! É tão sério assim?

Clara afirma com a cabeça.

J: Claro que eu prometo neh Clarinha?- ela sorri delicadamente

C:Mas não dá tempo de te contar agora neh? Pq o Felipe já tah lá embaixo. Você precisa me ajudar! Eu não posso falar com ele!

J: e por quê?

C: não dá pra explicar por completo, mas no dia do nosso aniversário de namoro eu me esqueci e dei um bolo nele, e o pior é que ele tinha vindo na intenção de noivar, minha mãe tah uma fera comigo desde aquele dia e ele nunca mais falou comigo e eu nem procurei ele, eu na verdade nem queria vê-lo mais. Agora eu não to com coragem pra falar com ele de novo depois do gelo aparentemente sem motivo que eu dei nele.

J: Mas por que você fez isso Clara? - perguntou surpresa

C: Eu tenho agido só com o coração nos últimos meses, acho que eu perdi a razão.

J: Eu juro que eu não sei como te ajudar!

C: Olha eu vou te dizer o como você pode me ajudar... -E Clara contou o seu plano improvisado para Jaqueline.

Lá embaixo na sala Julia recebeu Felipe como se nada tivesse acontecido.

J: oi meu Querido genro. Como você esta? Você não tem mais vindo nos visitar, enjoou da minha humilde casa?

F: Não D.Júlia Claro que não! Eu acho que foi a sua filha que enjoou de mim.

J: que isso? - disse ela desconcertada- é claro que Clara te a ama, sempre te amou, vive dizendo isso pelos quatro cantos da casa, é que ela está muito exausta por conta das provas. Tadinha ela está tão cansada nos últimos tempos.

F: sério?!- diz ironicamente- eu também tenho provas D. Julia se a senhora já se esqueceu eu estou no último período de medicina, as coisas também não estão fáceis pra mim, já que meu pai quer que eu assuma as empresas dele e eu quero seguir minha carreira de médico, nem tudo são flores não é mesmo?

Julia sorri desconcertada, e se sente aliviada ao ver Jaqueline descer as escadas, sentiu-se como salva pelo congo. O coração de Jaqueline disparou quando viu Felipe parado na sala, ele estava lindo com uma camisa polo branca e uma calça jeans, ele estava com aparencia desanimada e nem percebeu a bela mulher que descia a escada com seu vestido cor uva , que estava linda como o de costume.

Já: Felipe? Como você está?

F: Oi Jaqueline. Eu estou bem. D.Julia eu gostaria de falar com Clara ela se encontra? É muito importante.

Júlia gelou com a possibilidade do rompimento do casal, ela e Jaqueline trocaram um olhar disfarçado, Jaqueline fez um gesto sem que Felipe percebesse para que ela ficasse calma. Confiante num possivel plano da sobrinha, julia respondeu:

J: Claro que sim, ela está no quarto, pode ir lá.

Já: NÃO!

Julia a olhou sem nada entender.

Já: quero dizer ela está mas não esta em condições de ver ninguem eu mesma tive que descer, pra que ela dormisse um pouco.

F: e o que ela tem?

J: é o que ela tem pq ela estava muito bem até agora? - disse Julia com cara de que queria comer o Fígado da garota.

Jaq: ela tah com muita dor de cabeça e uns enjôos.

J: Mas ela pode o receber sim Felipe pode subir sem medo tenho certeza que ela vai adorar sua visita, vai ver o mau estar é apenas sua falta.- diz Júlia satisfeita por ter contornado a situação.

Jaq: espere! Ela tah muito cansada...

F: Pode deixar Jaqueline que eu não vou fazer nada com ela não, você pode ter certeza.

Jaqueline ficou sem fala e sem graça, depois que o Felipe subiu:

Jaq: pois é tia está dando a minha hora eu já vou indo, neh?

J: aonde a senhora pensa que vai? O q você estava tentando fazer? Arruinar de vez com o casamento da minha filha?

Jaq: Casamento?! Olha tia me perdoa, mas eu só fiz o que a Clara me pediu.

J: então ela te pediu pra dispensar o Felipe?! O que essa menina tem na cabeça?

Jaq: não sei tia, mas eu já vou porque já teve confusão demais por hoje, neh?

J: NÃO SENHORA! Você não vai embora, você vai disfarçadamente ouvir o que aqueles dois estam conversando e depois vai me contar.

Jaq: o quê?

J: é o minimo que você pode fazer pra reparar o que você fez.

Jaq: eu não to acreditando tia ?

J: Vai menina! Vai logo!

Jaqueline olha com ar de incredulidade para a tia que se mantem irredutivel e se dar por vencida e sobe as escadas sem animação nenhuma.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha do livro: Ágape.

O livro do Padre Marcelo Rossi nos fala sobre o amor divino, o mais puro e livre, incondicional. Livre de segundas intenções, de julgamentos. Ele nos mostra que o amor ao próximo, nos aproxima a cada dia mais de Deus, visto que, amando ao próximo como a nós mesmos, estamos amando ao Pai. Nos fala da criação do universo, das trevas à luz. O Padre enfatiza os textos da Bíblia, o livro sagrado, que contam a trajetória terrena de Jesus, seus ensinamentos e o julgamento pelo qual passou, para que o amor de Deus pela humanidade fosse provado. Amor este que não é capaz de discriminar-nos pela cor da pele, pelo sexo, religião e etc., mas que já nasce com o ser humano, sendo ele, naturalmente capaz de amar e não de odiar. O ódio que, infelizmente, acontece no coração do homem, é fruto de ações mesquinhas. Mas, temos como missão, ensinar aos nossos irmãos o amor como verbo de ação: amar. O Padre Marcelo nos fala também sobre a morte como passagem para a vida eterna. E que é na vida que temos qu…

Enfim... Crismada

Este foi um momento muiito importante pra mim, e pra vocês entenderem um pouco sobre ele vou falar um pouco sobre este sacramento da igreja católica.
Confirmação ou Crisma
A finalidade dos Sacramentos é para tornarmos um sinal de testemunho de vida; é para identificar-nos cada vez mais com Cristo. Não é para só sentirmos bem, pagar ou cumprir promessa.
Por que recebemos o Sacramento da Crisma, chamado também Confirmação? Comumente dizemos que a Crisma no faz soldados de Cristo, que confirma o Batismo, Sacramento adulto que dá responsabilidade. Uma só coisa a Igreja nos garante sobre este Sacramento. A crisma nos concede com
 plenitude o Espírito Santo. Qual o sentido do Sacramento da Crisma? Podemos dizer o seguinte: Todos os 
Sacramentos são Sacramentos de Cristo, mas um deles, a Eucaristia, é por excelência o Sacramento de Cristo. Assim, todos os Sacramentos são do Espírito Santo, mas um deles, a Crisma ou Confirmação, é por excelência o Sacramento do Espírito Santo.
Para melhor compreendermo…