Pular para o conteúdo principal

Os mesmos erros


Já perceberam que tem erros que nós insistimos em cometê-los?
É incrível como temos nossos defeitos de estimação! Nós sabemos que não são saudáveis, mas insistimos com as mesmas atitudes, algumas infantis, do qual não abrimos mão. Lembro de algumas manias que tinha quando criança, que ao ver os vídeos da família me auto recriminava, mas tem horas que me pego fazendo aquelas mesmas coisas que eu sempre recriminei em mim mesma. Aquela risada alta, aquela atitude um pouco egoísta, aquele jeito que, mesmo sem intenção, pode acabar machucando alguém, enfim, mesmo sem percebemos, e mesmo que não queiramos, tem coisas que não conseguimos mudar, apenas controlar.
Mas se temos dificuldades para poder nos auto analisarmos, como poderemos nos controlar?
Bem, eis um grande dilema!!! Enfrento essa pergunta todo santo dia! Como controlar minhas manias, meus defeitos de estimação? Não que toda mania seja um defeito, mas todo defeito vira uma mania, um hábito que muitas vezes, se torna incontrolável. E de novo o controle entra na história como fator principal.
Com o tempo eu percebi uma coisa muito importante e que é fato, quando observamos demais um defeito de uma pessoa, acabamos por cometê-los. É fato. Tiro e queda! Quando alguém tem uma mania que me perturba, um tempinho depois estou fazendo igualzinho, e é aí que mora o perigo, porque é o tipo de coisa que você faz sem perceber, só vai perceber quando todo mundo começar a falar, isso se alguém te falar!
Apesar de ser difícil, eu ainda acredito no grande poder da auto analise (bem mais eficaz do que esperar que alguém te conte). Acho muito importante observarmos o que estamos fazendo e o que estamos pensando. É questão de prática e de determinação. Quando nos auto analisamos é importante que estejamos dispostos a não tentarmos nos enganar ou justificar qualquer falha que tenhamos cometido. Isso é fatal! É inutil, e estupido tentar nos enganarmos, menti para si mesmo, é o cúmulo da desonestidade. Quem é desonesto consigo mesmo, merece pena, porque ele mesmo não quer acreditar na sua realidade, enfrentar os seus problemas sem tentar se colocar como o coitado da situação é um grande passo para a verdadeira auto analise.
Pensa comigo! Do que adianta eu ficar lamentando o que eu já errei, ou tentar provar para mim mesma que eu estava certa ou errada? Parece besteira, mas a maioria das pessoas ao pensar sobre um determinado problema ou sentimento tenta se enganar, culpando a outros pelas coisas que se está passando ou qualquer outra coisa desse tipo, mas se esquecem de pensar no principal, na solução do problema, e quando tentamos achar o culpado para o problema, não conseguimos enxergar a nossa parcela de culpa nele. Claro que isso não se aplica a todos e nem a todas as situações, mas muitas vezes cometemos os mesmos erros porque tentamos justificá-los, ou fazemos questão de não enxergar-los. Mentir para si mesmo não vai fazer você sofrer menos ou então solucionar os seus problemas, quando for analisar alguma situação pelo qual esteja passando, teste pensar como se estivesse acontecendo com outra pessoa e não com você, nós temos a tendência de sermos mais críticos com os outros do que com nós mesmos.
Para os que tem medo da vida e gostam de se proteger dela, com medo de se ferir, eu sugiro que não fique a olhar a vida como vilã, ou então lamentar seu destino, ou algum fato que você tenha passado, na verdade, tudo é passageiro e passa como tempo que acabou de passar, o segundo que não existe mais, não tente se proteger da vida, nem viva a arriscá-la a todo momento, viver é aprender com os erros, e se conhecer é o melhor jeito de se proteger, não se isolar do mundo, mas aprender a sobreviver a ele nele.
A natureza é sinônimo de equilíbrio, das órbitas dos elétrons às órbitas dos planetas, tudo é devidamente equilibrado, nós como pertencentes desta natureza devemos também sermos equilibrados, o auto controle provém da auto analise, e esta provém da sinceridade que temos com nós mesmos. Só assim pararemos de cometer sempre os mesmos erros.

  

Comentários

  1. Muito bom Annie!! Ah, gostei disso:"muitas vezes cometemos os mesmos erros porque tentamos justificá-los, ou fazemos questão de não enxergar-los", peguei emprestado tá, rsrs. Bjosss, Luiza Gomes

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Enfim... Crismada

Este foi um momento muiito importante pra mim, e pra vocês entenderem um pouco sobre ele vou falar um pouco sobre este sacramento da igreja católica.
Confirmação ou Crisma
A finalidade dos Sacramentos é para tornarmos um sinal de testemunho de vida; é para identificar-nos cada vez mais com Cristo. Não é para só sentirmos bem, pagar ou cumprir promessa.
Por que recebemos o Sacramento da Crisma, chamado também Confirmação? Comumente dizemos que a Crisma no faz soldados de Cristo, que confirma o Batismo, Sacramento adulto que dá responsabilidade. Uma só coisa a Igreja nos garante sobre este Sacramento. A crisma nos concede com
 plenitude o Espírito Santo. Qual o sentido do Sacramento da Crisma? Podemos dizer o seguinte: Todos os 
Sacramentos são Sacramentos de Cristo, mas um deles, a Eucaristia, é por excelência o Sacramento de Cristo. Assim, todos os Sacramentos são do Espírito Santo, mas um deles, a Crisma ou Confirmação, é por excelência o Sacramento do Espírito Santo.
Para melhor compreendermo…

Resenha do livro: Ágape.

O livro do Padre Marcelo Rossi nos fala sobre o amor divino, o mais puro e livre, incondicional. Livre de segundas intenções, de julgamentos. Ele nos mostra que o amor ao próximo, nos aproxima a cada dia mais de Deus, visto que, amando ao próximo como a nós mesmos, estamos amando ao Pai. Nos fala da criação do universo, das trevas à luz. O Padre enfatiza os textos da Bíblia, o livro sagrado, que contam a trajetória terrena de Jesus, seus ensinamentos e o julgamento pelo qual passou, para que o amor de Deus pela humanidade fosse provado. Amor este que não é capaz de discriminar-nos pela cor da pele, pelo sexo, religião e etc., mas que já nasce com o ser humano, sendo ele, naturalmente capaz de amar e não de odiar. O ódio que, infelizmente, acontece no coração do homem, é fruto de ações mesquinhas. Mas, temos como missão, ensinar aos nossos irmãos o amor como verbo de ação: amar. O Padre Marcelo nos fala também sobre a morte como passagem para a vida eterna. E que é na vida que temos qu…